Universidade e Faculdade

tudo o que você precisa saber sobre universidades e faculdades

Dicas de Interpretação de texto.

Não só os alunos afirmam gratuitamente que a interpretação depende de cada um. Na realidade isto é para fugir a um problema que não é de difícil solução por meio de sofisma (=argumento aparentemente válido, mas, na realidade, não conclusivo, e que supõe má fé por parte de quem o apresenta).

Podemos, tranquilamente, ser bem-sucedidos numa interpretação de texto. Para isso, devemos observar o seguinte:

01. Ler todo o texto, procurando ter uma visão geral do assunto;
 

02. Se encontrar palavras desconhecidas, não interrompa a leitura, vá até o fim, ininterruptamente;
 

03. Ler, ler bem, ler profundamente, ou seja, ler o texto pelo monos umas três vezes ou mais;
 

04. Ler com perspicácia, sutileza, malícia nas entrelinhas;
 

05. Voltar ao texto tantas quantas vezes precisar;
 

06. Não permitir que prevaleçam suas idéias sobre as do autor;
 

07. Partir o texto em pedaços (parágrafos, partes) para melhor compreensão;
 

08. Centralizar cada questão ao pedaço (parágrafo, parte) do texto correspondente;
 

09. Verificar, com atenção e cuidado, o enunciado de cada questão;
 

10. Cuidado com os vocábulos: destoa (=diferente de …), não, correta, incorreta, certa, errada, falsa, verdadeira, exceto, e outras; palavras que aparecem nas perguntas e que, às vezes, dificultam a entender o que se perguntou e o que se pediu;
 

11. Quando duas alternativas lhe parecem corretas, procurar a mais exata ou a mais completa;
 

12. Quando o autor apenas sugerir idéia, procurar um fundamento de lógica objetiva;
 

13. Cuidado com as questões voltadas para dados superficiais;
 

14. Não se deve procurar a verdade exata dentro daquela resposta, mas a opção que melhor se enquadre no sentido do texto;
 

15. Às vezes a etimologia ou a semelhança das palavras denuncia a resposta;
 

16. Procure estabelecer quais foram as opiniões expostas pelo autor, definindo o tema e a mensagem;
 

17. O autor defende idéias e você deve percebê-las;
 

18. Os adjuntos adverbiais e os predicativos do sujeito são importantíssimos na interpretação do texto.
Ex.: Ele morreu de fome.
de fome: adjunto adverbial de causa, determina a causa na realização do fato (= morte de “ele”).
Ex.: Ele morreu
faminto.
faminto:
predicativo do sujeito, é o estado em que “ele” se encontrava quando morreu.;
 

19. As orações coordenadas não têm oração principal, apenas as idéias estão coordenadas entre si;
 

20. Os adjetivos ligados a um substantivo vão dar a ele maior clareza de expressão, aumentando-lhe ou determinando-lhe o significado.

Nota: Diante do que foi dito, espero que você mude o modo de pensar, pois a interpretação não depende de cada um, mas, sim, do que está escrito. “O que está escrito, escrito está.”

março 31, 2008 - Posted by | Uncategorized | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Nenhum comentário ainda.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: