Universidade e Faculdade

tudo o que você precisa saber sobre universidades e faculdades

Após duas semanas, estudantes da UnB decidem deixar prédio da reitoria

Após duas semanas, os estudantes da UnB (Universidade de Brasília) decidiram hoje em assembléia desocupar o prédio da reitoria da universidade. A desocupação começa amanhã –o prédio está ocupado desde o último dia 03.

De acordo com os alunos, os estudantes vão se manter em estado de mobilização. “A desocupação acaba, mas permanecemos em estado de mobilização. Queremos manter um calendário de negociação”, disse Karla Gamba, uma das representantes do comitê de negociação dos estudantes da UnB.

Quando iniciaram a ocupação, os estudantes reivindicavam a saída do então reitor Timothy Mulholland, suspeito de envolvimento com suposto desvio de recursos da Finatec –que renunciou ao cargo no domingo– para decoração de seu apartamento funcional. Mesmo após a renúncia de Mulholland, os estudantes vinham mantendo a ocupação. Eles agora querem realização de eleições paritárias para escolha do reitor.

Ontem, os estudantes se reuniram com novo reitor da UnB, Roberto Aguiar. Ao sair do encontro, reitor e alunos adotaram discursos diferentes. Aguiar afirmou que os estudantes deixaram a reitoria em 48 horas. “Estabelecemos um prazo para sair. Vão sair em 48 horas.”

Depois Aguiar recuou e afirmou que essa era a expectativa dele. “A minha expectativa é que em 48 horas ou menos eles saiam.”

Já os alunos disseram que essa decisão só poderia ser tomada em assembléia, como ocorreu hoje.

Eleições paritárias

Atualmente, o voto dos estudantes tem peso de 15%. O voto dos professores tem peso de 70% e os, dos servidores, de 15%. A saída dos membros da direção da reitoria da UnB era uma das principais reivindicações do DCE (Diretório Central dos Estudantes).

Reportagem da Folha informa que a paridade pode esbarrar em um obstáculo legal. A LDB (Lei de Diretrizes e Bases) estabelece que ‘os docentes ocuparão 70% dos assentos em cada órgão colegiado e comissão, inclusive nos que tratarem da elaboração e modificações (…) da escolha de dirigentes’.

Segundo o ministro Fernando Haddad (Educação), as universidades podem fazer consultas informais paritárias antes do pleito oficial, e os 70% dos professores previstos por lei acatem o nome sugerido.

abril 17, 2008 - Posted by | universidades | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Nenhum comentário ainda.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: